Oh, Céu

June 20, 2007

CéuEstava eu na minha cidade natal, o único lugar em que me presto a assistir a tevê, porque essa é uma das coisas menos entediantes que se pode fazer por lá. Anunciou-se que a Céu ia cantar no Altas Horas, um programa acéfalo na madrugada da Senhoura Globo, e eu me dispus a acompanhar. Para ver Céu eu até comeria um pouquinho de brócolis, não muito.

Pois Céu “não é cantora, é encantora” – isso foi o que Chico Buarque disse referindo-se à catarinense Bïa, a única mulher a quem ele confia a tradução de suas letras para o francês, mas tenho certeza de que a frase foi originalmente forjada para Céu, não para Bïa. Natural a confusão: nomes bem parecidos, três letras, sinal gráfico na do meio. Para além disso, eu diria que Céu é a Cat Power brasileira. Não que tenham um estilo parecido ou falem das mesmas coisas, mas as duas são bem gostosinhas e tal.

Estava então deitado, esperando que a Céu aparecesse, tendo pequenos colapsos nervosos a cada minuto avançado do Altas Horas, que na verdade é até engraçado; o apresentador entra e começa a falar sobre a vida, manda que entre um participante e falam sobre a vida, depois chama alguém da platéia e falam sobre a vida, telefona pra alguém e falam sobre a vida; e assim vai. Pensei até que o programa podia ter um slogan que eu mesmo inventei: Altas Horas, o Show da Vida.

Pelo que pude notar, a maioria da platéia era de estudantes de Jornalismo, o que me deixou bastante consternado. Nunca vi tanta besteira por segundo quadrado, mas pela Céu eu aturo muito, já disse. Aí tem uma hora em que se coloca uma tribuna no palco e os participantes vêm fazer alguma reclamação. A maioria dos desabafos era algo como “tia Neide, as prova tão muito difícil, né? Facilita aí pra gente, né?”, seguidos pela ovação dos presentes.

E veio um garoto, também aspirante a jornalista, dizendo que o Brasil tem que amadurecer e regulamentar de uma vez por todas a situação do Jornalismo, que se a profissão não for regulamentada o Jornalismo no país vai ser sempre ruim, que isso é uma vergonha etc. etc. Deu uma pancadinha na bancada e saiu todo bobo.

Explique-se um detalhe: o Brasil é um dos únicos países onde se mantém a exigência de diploma para exercício do Jornalismo, ou seja, a profissão é regulamentada. E o apalermado do estudante teve ainda coragem de estar em frente às câmeras e falar que se não regulamentassem de uma vez ele ia ficar bem triste e quem sabe até chorar.

Como em quase todos os dias desde que comecei o curso, senti vergonha por meus colegas, os futuros grandes profissionais. Fiquei corado, tendo até que me esconder embaixo das cobertas para não ver meus livros ali da estante mirando seu olhar de condenação para minha desgraça. Só pude me descobrir quando todos eles se viraram rapidamente à entrada da Céu. Assistimos juntos e logo após repousamos em completa paz de espírito.

2 Responses to “Oh, Céu”

  1. Dael Says:

    Essas fotos principiam a ser um prazer à parte nesta casa. De nada.

  2. Bloom Says:

    É, acho que vale a pena encarar esse programa pela garota haha.


Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: