olá, ó lá

November 14, 2007

Aos que já tiveram a felicidade de me conhecer, deixo aqui formais cumprimentos, só pra simularmos que existem correntes e seitas entre os blogueiros e possam assim criar-se o tanto de boatos que dão sentido à vida. Aos que permanecem nas trevas, antecipo que não me vou apresentar. Mas serei generoso explicando: de mim, bastam-lhes as palavras.

Outro dia até, estava numa rodinha na ufsc conversando sobre sei-lá-quê e quando me perguntaram a opinião sobre uma certa coisa respondi que Eu estudo pra não precisar subir tijolo na vida, aí esse tipo de estudante que fico tentado a chamar esquerdinha burguesa de pensamento levemente acanhado mas não chamo porque não vale que se opine sobre isso já parte logo pra cima fazendo coro de Uuuuu! Que isso! e começam a apontar pra você – na referida situação, pra mim – dizendo Isso é muito feio! Porque eu não me importaria em empilhar tijolo pra viver! Tás atirando a moral dos pedreiros aonde? Pedreiro não tem dignidade?, e você tem que ouvir isso caladinho que é o preço que paga por estar desatento às palavras que usa perto de certas hipocrisias ignorantes de si mesmas. E eu nem vou perder tempo explanando o que seja tal hipocrisia, tendo certeza de que já fui demasiado claro para a gente que entende o que quero dizer.

Eis o que importa: se você imaginou estar ilustrado no parágrafo acima, pode, por gentileza, ir falar àquele senhor de terno cinza que deverá lhe encaminhar o caminho da porta da rua? Muito grato, sim?

Olá. (:

7 Responses to “olá, ó lá”

  1. Lali Says:

    Você por aqui?
    haoiahaoiahoa
    Pensei que não teria mais como ler as suas obras
    ¬¬ hahahahaha

    Beeeijo Deco
    =***
    😉

  2. uma mosca Says:

    continua o mesmo bostinha revoltado de sempre.
    falta de buceta ou rola sei lá.

  3. Alexandre Says:

    Me parece que conheço a mosquinha. Será?
    Agradeço a parte que talvez me toque.
    Até mais ver.

  4. Dael Says:

    É que as moscas se parecem todas.


  5. […] aqui. Depois, veio um vento bater à porta de um certo arpeggi e a coisa recomeçou vulgarmente com isso aqui. Entre tropeços se continuou, e o pródigo tornou enfim à casa, trazendo todos os trapinhos de […]


Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: