wonderland

December 26, 2007

Kjartan Sveinsson, Sigur Ros, respondeu assim ao Pitchfork quando questionado se a banda ja tinha pensado em escrever musicas em ingles: “I think it’s a bit like lying. If we were to sing in English, it woudn’t be honest,” e se pode tirar umas 31 interpretacoes diferentes do dito; conquanto uma apenas venha a interessar. Uma lingua diferente e uma maneira diferente de se pensar (sobre) a natureza, as borboletas, os trens-fantasmas e a luz dos olhos teus. O drama consiste em que e penoso adaptar seus sentidos a uma lingua que de tao simples da ate um nervoso quando voce deixa escapar algo. Pois e como se no ingles seus ornados pensamentos perdessem todos os galhinhos floridos e virassem debeis ossinhos secos. Mas faco ja uma abertura a justica*: e muito divertido falar em ingles, ler Alice no Pais das Maravilhas em ingles, e apesar de que Meu Deus, aquilo que os australianos falam nao seja ingles, mesmo com eles e interessante conversar, e tem o british accent, que me faz suspirar como uma dama rameira, tudo isso. Ao que consta, existem, inclusive, 14 formas diferentes de se usar a f-word, como a chama Forrest Gump, mas o uso de 5 ja enjoa um monte.

*duas paginas de Chesterton ja trucidam qualquer dos meus argumentos, mas vamos fingir.

Advertisements

puta massa

December 22, 2007

who killed bambi?

><

December 19, 2007

A ambiguidade matou o gato.

post #14, golfinhos

December 17, 2007

E como naquela tirada em que uma pedra olha para uma regua e diz Hey, you rules, e a outra responde Hey, you rock. E eu escrevi essa primeira frase ha uma meia hora entao nao lembro mais o que ia dizer, mas manifesta-se-me o seguinte. Caia numa bobagem profunda quando me punha ja para dissertar sobre o comportamento e a psique brasileiros vistos sob um espectro exterior. Apercebi-me entretanto em que lhufas estaria pondo minhas bufas, assim que o post de hoje e sobre golfinhos.

O golfinho “fliper” e conhecido como golfinho vira-lata porque se adapta em qualquer ambiente. Ele pode enfrentar intemperies tremendas sob efeito das quais se expoe ao estresse e tantas coisas tao-somente pela comida que pode obter via disso. E tem outra. Apesar de nao haver golfinhos na rota tracada pelo Titatic – eu sei coisas como essa, me internem -, o que eles fazem ao pular adoidadinhos a frente do navio nao e tentar uma interacao amigavel; trata-se, antes, de uma demonstracao do mais puro cinismo. O que eles conseguem, adoidadinhos daquele jeito, e distrair a atencao dos homens que sabem para longe do mamario que esta acercado.

Os golfinhos sao bem domal tambem. Se nasce um tipo assim aleijado, eles escurracam com o coitadinho porque sabem que no futuro o dito sera apenas mais uma preocupacao. Vou deixar a cargo de voces dizer se essa e uma decisao razoavel ou nao. Os leoes, por sua parte, fazem algo como isso. Quando ha muitos filhotes na ninhada, o rei come alguns deles para evitar muita confusao no futuro – mas assim eles nunca terao um Leao Tolstoi. Sorry.

Falando em sorrir, ja estou quase rico. Assim, rico nao, mas estou aqui tem duas semanas, e ja temos um som maneiro, uns cds maneiros para escutar nele e ate uma torradeira maneira. Da pra viver, e eu tenho comido toda essa porcaria com gosto por tres razoes. Porque e gostoso, nego come amarradao. Porque ajuda a destruir o corpo mais rapido, com uns vazamentos assim, umas paradas corrosivas tipo baba de Alien, naquele filme. E, finalmente, porque ha dois outros bons motivos. Bytheway, ja mencionei que trabalho com a americana mais mais-que-demais que ja vi por aqui? Aponto isto em vias de registrar que num desses dias participarei a ela que tome continencia, porque seu senhor e vindo. Sou um tipo machao.

An? An?

Ja vai para uma semana que estou na America, you know. O suficiente para que ja esteja relaxado, respirando o ar gelado das montanhas e fazendo as pazes com o fuso. Cheguei, depois de uma rapida conexao em NY, a Chicago; de la vim dirigindo, so para fazer como na musica do Sufjan Stevens, bem bobo, ne. Alugamos um carro, saimos de Illinois e, atravessando Iowa e Nebraska, chegamos ao Colorado, o que infelizmente nao foi uma grande experiencia de oh, vejam so aquilo, porque Deus resolveu que um Corn Belt apeteceria aos Estados Unidos. Depois, as estradas sao macantes. Todas perfeitinhas demais para que se possa ter uma boa aventura. Carros so existem os com cambio automatico, entao tudo que voce tem que fazer e engatar a marcha e ficar feito um palhaco a dar conta de um volante, dois pedais e uma reta interminavel. E por isso que os americanos tiram carteira aos 16, these smart boys. Mas so podem comprar bebida aos 21, e a lei e seguida com uma caretice absurda a risca. Ha bastantes cervejas ligth aqui, o que significa graduacao alcoolica reduzida e o que nao chega a fazer grande diferenca porque a 3 mil metros de altitude voce voa mais rapido.

Nos primeiros dias eu diria convicto que ha qualquer coisa aqui que torna o padecimento do acordar matinal mais suportavel, agradavel ate. Eu tinha ate bolado uma teoria pra isso que era o seguinte: os americanos colocam no ar germs que comem a preguica, assim voce pode acordar mais cedo, trabalhar mais e, eventualmente, to make more money. Entretanto, hoje pela manha fui acordar um pouco pra la da siesta, e percebi que minha teoria perdeu sua forca significativamente.

Mas eu tenho uma outra. Com todo esse enfado que e fazer as interestaduais, com esses carros para vovos e o gps daqui, que e mato, nao tarda que esses automoveis estajam a se guiar sozinhos e adquirir estilo e personalidade proprios, de modo que um dia o motorista vai querer parar no mcdonalds para o cafe da manha e o veiculo vai travar todas as portas e repetir com voz polida Chegar ao destino, chegar ao destino, sem que facam nenhuma diferenca os controles vitais dos passageiros. Voces entendem? Um carro sem cambio exime o controle do ser humano sobre a maquina, um carro sem cambio e imoral. Por exemplo, se voce tem uma F50 com cambio automatico entao voce e um idiota e toda a humanidade estaria melhor se voce simplesmente morresse.

Mcdonalds e um troco incrivel. Se voce acha que os ha demais no Brasil, devia mesmo ver isso aqui. Voce simplesmente tropeca olha ali um mcdonalds. So the subway etc. etc. Quando isso aqui ainda era aquela terra inospita e vinham senhores com bigodes grandoes e fundavam cidades, creio que as primeiras instituicoes deveriam ser um mercadinho, uma delegacia e um prostibulo. O que se descobre no entanto e que um mcdonalds consta dessa lista muito serelepemente. Voce acaba comendo muito mcdonalds, e verdade, e seja la o que aconteceu com aquele cara do Super Size Me isso provavelmente vai me acontecer enquanto eu nao comecar a trabalhar no restaurante, levar para casa a la o’ food escondida nos bolsos e resguardar a justica pela fome no terceiro mundo.